Registro digital do voto

O registro digital do voto, ou arquivo de votos, foi criado em 2003 em substituição ao voto impresso, o que possibilitou a recuperação dos votos para recontagem eletrônica a qualquer tempo, além de acrescentar segurança e transparência ao processo eleitoral.

Consiste na inserção, de forma aleatória, do voto de cada eleitor, assinado digitalmente pela urna eletrônica, em uma tabela de tamanho igual à da quantidade de eleitores da seção eleitoral.

A assinatura digital de cada voto, obtido mediante a aplicação de sistema de criptografia baseada em tecnologia de chaves assimétricas, conhecido como infraestrutura de chaves públicas, garante a identidade ou autenticação da urna registradora daquele registro digital e até o sigilo daquele registro.

Não há possibilidade de identificar o eleitor, uma vez que os votos, à medida que vão sendo registrados, são depositados aleatoriamente na urna eletrônica, impedindo qualquer vinculação entre o voto e o eleitor.

O arquivo é criptografado e possui cópia de segurança na urna.

Um exemplo do registro digital do voto é a tabela a seguir. Cada linha equivale à sequência de escolhas de cada eleitor.

 

Exemplo de registro digital do voto

Deputado federal

Deputado estadual

Senador

Governador

Presidente

9111

91111

911

91

91

9112

91112

921

92

92

9411

94111

Branco

Branco

Branco

9212

92112

9212

94

94

9311

93111

Nulo

91

Branco

 

Os dados exemplificados na tabela acima são somados e registrados no boletim de urna, conforme exemplo a seguir:

 

Exemplo dos votos no boletim de urna

Deputado federal

9111 = 2

9112 = 1

9113 = 1

9212 = 1

9411 = 1

Brancos = 0

Nulos = 0

Deputado estadual

91111 = 1

91112 = 2

93111 = 1

94111 = 1

Brancos = 0

Nulos = 0

Senador

911 = 1

921 = 2

931 = 0

Brancos = 1

Nulos = 1

Governador

91 = 2

92 = 1

94 = 1

Brancos = 1

Nulos = 0

Presidente

91 = 1

92 = 1

93 = 0

Brancos = 2

Nulos = 0

Gestor Responsável: Tribunal Superior Eleitoral +