TSE começa a reformular seu Planejamento Estratégico (atualizada)

TSE começa a reformular seu Planejamento Estratégico

Reunião sobre planejamento estratégico

Os gestores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) participaram nesta quarta-feira (6) da I Reunião de Reformulação do Plano Estratégico da Corte Eleitoral. Em linhas gerais, o grupo vai atualizar os direcionamentos estratégicos, a missão, a visão, os valores e os objetivos, bem como ampliar a vigência do documento. Esse foi o primeiro de seis encontros previstos, que ocorrerão às segundas, quartas e sextas das próximas duas semanas, sempre às 10h.

Segundo o assessor-chefe da Assessoria de Gestão Estratégica do TSE, Daniel Corrêa, durante a reunião foi apresentado aos gestores o histórico da formulação do plano estratégico vigente. “Além disso, foi exibida a cadeia de valor do TSE, pois alguns dos presentes não a conheciam. Assim, eles tiveram a oportunidade de relembrar fundamentos conceituais sobre planejamento estratégico, bem como refletir sobre possíveis melhorias que serão necessárias para o plano do TSE”, explicou.

Durante as reuniões, o grupo discutirá e irá propor mudanças nos antigos objetivos estratégicos, na missão e na visão do plano. De acordo com Corrêa, “esta é a primeira etapa da elaboração do plano feita com os gestores, por isso é importante a presença de todos. Depois iremos consolidar esse trabalho e faremos mais reuniões com a participação de todos os servidores do TSE”.

Na avaliação do assessor, é o plano estratégico que dá o rumo para a instituição. “Eu faço um plano estratégico até 2021; então ele vai me dizer como eu quero estar nesse ano. Quero dizer que é mais ou menos como se fosse um plano de voo para detalhar como o meu avião vai fazer para ir de um ponto A para um ponto B. Para atingir a missão e a visão de como eu quero estar no futuro, eu defino alguns objetivos e indicadores de acompanhamento. Aí, a administração pode fazer o acompanhamento e as melhorias”, detalhou.

De acordo com Corrêa, o último plano do TSE foi feito para o período de 2015 a 2020. A partir daquele documento, eles verificaram a necessidade de revisar e aumentar em um ano a validade do próximo plano. “Ele terminaria em 2020, ano eleitoral e, por isso, não teríamos como dispor da participação dos servidores para colaborar com a elaboração de um novo plano. Então, queremos fazer agora, que é um ano não eleitoral, e  aumentar em um ano a vigência, para que ele termine em 2021”, acrescentou.” 

 

IC/LC/DM

Últimas notícias postadas

Recentes