Homenagem ao ex-ministro José Gerado Grossi marca sessão solene desta terça-feira (15)

Falecido na semana passada, ministro teve sua trajetória relembrada por colegas

Ex-ministro do TSE

O Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizou, nesta terça-feira (15), sessão solene em homenagem ao ex-ministro José Gerardo Grossi, falecido na semana passada. O presidente da Corte, ministro Luiz Fux, abriu a sessão destacando o exemplo de Grossi a quem denominou de homem probo e competente. Ele falou sobre a qualidade das decisões do jurista, de sua postura e de sua maneira de se relacionar com os colegas, com os servidores e com os advogados. “Essa é uma perda irreparável não só para a Justiça Eleitoral como também para a advocacia e para a sociedade brasileira”, disse. “O ex-ministro foi um cultor do Direito como um todo, um cultor do direito eleitoral e deixa um legado de incansável defesa da liberdade do Estado Democrático de Direito” completou.

Falando em nome dos demais ministros e dos integrantes da “família eleitoral”, o presidente do TSE também expressou condolências, solidariedade e reverência pela “inestimável contribuição” que o ex-ministro deu ao Tribunal. Invocando Manuel Bandeira, Fux ressaltou que Grossi “apenas se ausentou, que a vida é uma só e ela continua exatamente nessa vida que ele viveu para o Direito, para o Brasil e para o engrandecimento das nossas instituições”.

Presente à sessão, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), José Paulo Sepúlveda Pertence, relembrou a trajetória do ex-ministro. Disse que, apesar da tristeza do momento, sentiu-se confortado por ter sido escolhido pelos advogados militantes do Tribunal para homenagear o amigo.

O vice-procurador-geral eleitoral, Humberto Jacques, também prestou homenagem ao ex-ministro. “A minha geração e o Ministério Público Eleitoral sentem o luto do passamento do ministro”, afirmou.

Trajetória

José Gerardo Grossi atuou como ministro substituto do TSE entre 1994 e 1996. Posteriormente, em 2002, voltou à Corte e nela permaneceu até se tornar ministro efetivo pela classe dos advogados entre os anos de 2006 e 2008.

Aos 85 anos, era um dos advogados mais importantes e atuantes do Distrito Federal, onde vivia desde os primeiros anos de sua carreira. Mineiro de Abre Campo, foi professor da Universidade de Brasília (UnB) e conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Era conhecido pelo amplo domínio dos estudos jurídicos, bem como por seu humor refinado.

 

MM/LR, DM

Últimas notícias postadas

Recentes