Associação de Magistrados defende atual sistema eletrônico de votação

Nota da Ajufe destaca a segurança das urnas eletrônicas e ressalta preocupação aos ataques à legitimidade da atuação do TSE

Urna eletrônica

A defesa pelo atual sistema eletrônico de votação e pela garantia do Estado Democrático de Direito brasileiro motivou uma manifestação da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), nesta quinta-feira (29). Segundo nota divulgada no portal da entidade, os magistrados destacam ser “inaceitável que se tente desqualificar o processo democrático propagando ilações que geram desconfiança sobre o funcionamento das instituições e sobre a atuação de agentes públicos”.

Para a associação de juízes, os ataques à legitimidade constitucional do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de organizar as eleições e à prerrogativa do Congresso Nacional de avaliar as propostas de mudanças no processo eleitoral provoca instabilidade política e afeta a harmonia entre os Poderes da República.

Na nota, a Ajufe afirma que acompanha as discussões no Congresso e destaca que o sistema eletrônico votação vigente garantirá eleições democráticas, seguras e legítimas em 2022. “O atual modelo do sistema eleitoral brasileiro é seguro e eficiente, tendo amplo reconhecimento internacional. As urnas eletrônicas são utilizadas há mais de 25 anos sem qualquer prova concreta de fragilidade operacional que possa propiciar fraudes nos resultados”, informa o documento.

A Ajufe é a entidade que representa a magistratura federal brasileira, tendo sua atuação há mais de 48 anos. Tem como principais objetivos o fortalecimento do Poder Judiciário e de seus integrantes, o aperfeiçoamento do Estado Democrático de Direito e a plena observância dos direitos humanos, além de apoiar o conhecimento científico na área jurídica.

TP/LC, DM com informações da Ajufe

 

Últimas notícias postadas

Recentes