Presidente do TSE agradece contribuição de parceiros de programa de combate à desinformação

Em cerimônia virtual, ministro Barroso anunciou continuidade do trabalho de enfrentamento das fake news disseminadas pelas redes sociais

TRE-PB COMBATE A DESINFORMAÇÃO

Em cerimônia realizada por videoconferência no final da tarde desta quinta-feira (17), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, agradeceu a contribuição de todos os parceiros do Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020 e anunciou a ampliação dos trabalhos de combate às notícias enganosas disseminadas pelas redes sociais.

O presidente da Corte Eleitoral elogiou a atuação dos colaboradores e atribuiu o sucesso do pleito realizado em novembro à cooperação entre as instituições que integram o projeto. “O diagnóstico preliminar é que saímos vitoriosos dessa batalha. Embora não seja possível acabar com a disseminação de desinformação, avaliamos que foi possível reduzir em muito o seu impacto no transcorrer do pleito. De modo geral, a população teve acesso a informações verídicas e de qualidade sobre o processo eleitoral, permitindo que exercessem de modo consciente o seu direito de voto”, avaliou.

Ao oficializar a transformação do Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020 em uma iniciativa permanente, o ministro reforçou que a principal tática do Tribunal é enfrentar as notícias falsas com informação rápidas, sem intervir no debate democrático. “Apostamos fundamentalmente em estratégias não regulatórias e multissetoriais, celebrando múltiplas e amplas parcerias com cada um dos atores aqui presentes, que se comprometeram a implementar ações concretas para mitigar o efeito negativo produzido pela desinformação no processo eleitoral”, observou o presidente da Corte.

Também presente na reunião, a secretária-geral do Tribunal, Aline Osorio, reiterou a importância das parcerias firmadas ao longo deste ano e a necessidade do planejamento prévio das medidas de combate às notícias falsas para as Eleições Gerais de 2022. “Entendemos que tudo foi feito de modo positivo, e o impacto das fake news foi reduzido por conta dessa colaboração. Gostaríamos de, já no início de fevereiro, realizar reuniões com parceiras para planejar as ações de 2022”, afirmou.

Participaram da cerimônia virtual representantes da Conexis Brasil Digital; do Twitter; do TikTok; do Google Brasil; do Facebook; do WhatsApp; das agências de checagem Boatos.org, Lupa, AFP, E-farsas, Uol Confere, G1 Fato ou Fake, Estadão Verifica, Aos Fatos, Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e International Fact-Checking Network (IFCN); da Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom); da Associação Brasileira de Imprensa (ABI); da Associação Brasileira de Internet (Abranet); da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert); da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel); da Associação Nacional de Editores de Revistas (Aner); da Associação Nacional de Jornais (ANJ); da Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint); da Fundação Getúlio Vargas (FGV); do The Atlantic Council’s Digital Forensic Research Lab (DFRLab); do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS); do Instituto Igarapé; da SaferNet Brasil; da Bluetrix Tecnologia; da InfoBip Brasil; e das operadoras Oi, TIM, Algar Telecom, Claro e Vivo.

BA/LC, DM

Últimas notícias postadas

Recentes