Série Desvendando a Urna: softwares maliciosos podem ser inseridos no equipamento?

Confira essas e outras respostas para informações falsas que circulam na internet na série de dez reportagens divulgadas pela Comunicação do TSE

Desvendando a Urna 4 - 13.10.2020

Softwares maliciosos podem ser inseridos na urna eletrônica? É absolutamente falsa essa afirmação. Há um computador inserido na placa-mãe da urna, que contém processador e memória. Esse componente é protegido fisicamente, por meio de resina, contra qualquer ataque físico.

Nesse computador são inseridos os certificados digitais – as chaves oficiais do TSE –, que fazem a verificação, camada por camada, de todos os softwares que são carregados na urna. Isso impede, de forma sistemática, que um software não oficial ou minimamente adulterado seja carregado na urna eletrônica.

Série

O conteúdo da série "Desvendando a Urna” também pode ser conferido no TikTok e nas redes sociais do Tribunal.

“O código-fonte do software de votação não é aberto à comunidade?”. Esse é o assunto da próxima matéria da série. A explicação você confere na próxima terça-feira (20).

RC/LC, DM

Leia mais:

13.10.2020 - Série Desvendando a Urna: o equipamento é suscetível a ataques internos?

08.10.2020 - Série Desvendando a Urna: o sistema é vulnerável a ataques pela internet?

06.10.2020 - Série Desvendando a Urna: a votação é segura?

01.10.2020 - Série Desvendando a Urna: equipamento é projetado por empresas privadas?

Últimas notícias postadas

Recentes