Regulação e controle de conteúdo é tema do primeiro debate no evento sobre Desinformação e Eleições

Especialistas brasileiros e estrangeiros compartilham experiências e apontam soluções para combater a disseminação de notícias falsas

II Seminário Internacional Desinformação e Eleições

Na manhã desta terça-feira (26), ao abrir o II Seminário Internacional Desinformação e Eleições – Disinformation and Elections, o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que a internet deveria ser um espaço livre, mas essa percepção mudou com o passar dos anos e com a utilização irresponsável da tecnologia.

Para ele, é necessário pensar em uma regulação antitruste, que proteja os direitos autorais; com tributação justa; e que resguarde a privacidade das pessoas. “É preciso um controle de conteúdo”, disse ele, ao lembrar que, muitas vezes, nas mídias sociais, são utilizados robôs, perfis falsos, contas duplicadas e automatização da participação de pessoas que distorcem a importância de uma notícia.

O evento tem programação das 9h às 18h com debates entre diversos especialistas brasileiros e estrangeiros para compartilhar experiências e soluções relacionadas ao combate à disseminação de notícias falsas em processos cívicos, especialmente durante as eleições.

O impacto da desinformação

A palestra de abertura “O impacto da desinformação em processos democráticos” foi apresentada por Lawrence Lessig, professor da Harvard Law School, nos Estados Unidos. Ele é fundador da Equal Citizens, organização sem fins lucrativos que se dedica a reformas que buscam alcançar a igualdade dos cidadãos.

De acordo com ele, “infelizmente, a melhor estratégia e a mais lucrativa do capitalismo é adotar uma política de ódio. Eles lucram mais quanto mais polarizados e ignorantes o público for. Quanto mais raivosos, emotivos e quanto mais falsas forem as crenças, mais engajamento haverá”.

Segundo Lessig, “é preciso que aproveitemos a oportunidade de reconhecer as ameaças que essas plataformas estão apresentando para a sociedade e adotar regulação apropriada”. Se nada for feito nesse sentido, diz ele, as plataformas continuarão ditando regras para a saúde, para o comportamento e para a opinião das pessoas no mundo inteiro.

Também participaram da abertura o vice-presidente do TSE, ministro Edson Fachin, e a secretária-geral da Presidência do Tribunal, Aline Osorio.

Ao final do seminário, as contribuições e sugestões sobre o tema devem ser utilizadas para expandir e aperfeiçoar as ações de enfrentamento à desinformação adotadas pela Justiça Eleitoral, de modo a garantir a realização de eleições livres e justas.

Acompanhe os debates, ao vivo, pelo canal do TSE .

Clique aqui para acessar a programação e outras informações sobre o evento.

AL/CM, DM

Leia mais:

26.10.2021 – Evento destaca experiências de organismos eleitorais no enfrentamento das fake news 

26.10.2021 – Palestrantes defendem maior transparência das plataformas digitais como forma de combate à desinformação 

26.10.2021 – Especialistas revelam mecanismos que estruturam campanhas de desinformação 

26.10.2021 – Professora britânica fala sobre formas de mitigar os efeitos nocivos das fake news 

26.10.2021 – TSE promove nesta terça (26) encontro internacional sobre desinformação e eleições

Últimas notícias postadas

Recentes