Ganhadores do 16º Prêmio Innovare serão conhecidos nesta terça-feira (3)

TSE concorre na categoria “Tribunal” com campanha de combate à desinformação

prêmio innovare

Está marcada para amanhã, dia 3 de dezembro, a cerimônia de premiação da 16ª edição do Prêmio Innovare, que reconhece iniciativas que contribuem para o aprimoramento da Justiça brasileira. A entrega do prêmio será no Supremo Tribunal Federal (STF), às 11h. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é finalista na categoria “Tribunal” com a campanha TSE contra Fake News, que desenvolveu ações durante as Eleições Gerais de 2018 voltadas ao combate à desinformação.

Entre o primeiro e segundo turnos das Eleições 2018, o TSE criou uma página em seu Portal intitulada “Esclarecimentos sobre Notícias Falsas”, contendo respostas diretas e imediatas aos mais diversos boatos que circulavam pelas redes sociais, sobre supostas denúncias de fraudes e falhas durante o processo eleitoral. Também foram veiculados 14 vídeos e spots de rádio com duração de até um minuto, em linguagem simples e direta. Além disso, foram promovidas publicações coordenadas de conteúdo informativo em diferentes plataformas e aplicativos de mensagens, como o WhatsApp.

A indicação a finalista do prêmio ocorreu por meio de uma comissão julgadora que reúne magistrados e juristas e que enxergou na iniciativa do TSE um diferencial no intuito de esclarecer aos eleitores os fatos verdadeiros para se contrapor às diversas notícias falsas divulgadas durante a campanha eleitoral.

 O projeto finalista foi idealizado e desenvolvido pela Assessoria de Comunicação (Ascom) do TSE, comandada pela assessora-chefe Ana Cristina Rosa, e contou com a parceria da Assessoria de Gestão Eleitoral (Agel), que tem à frente o assessor-chefe Thiago Kanashiro, e da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI), representada pela servidora Adriana Silva. A ação de comunicação integrada contou também com o trabalho da chefe do Núcleo de Rádio e TV do TSE, Ana Paula Ergang, e da servidora Rakell Dimanski, que atua no Núcleo de Campanhas e Redes Sociais da Ascom, além da participação dos Tribunais Regionais Eleitorais em todo o país.

A importância da indicação ao prêmio foi reconhecida pela presidente do TSE, ministra Rosa Weber. Para a magistrada, “é consenso que a desinformação afeta os diferentes setores e atividades da sociedade e põe em dúvida a credibilidade das instituições”. Segundo ela, “a Justiça Eleitoral, ciente dessa realidade, assume a sua parcela de responsabilidade e também age provocando o envolvimento dos demais atores sociais nesta cruzada, que é coletiva”.

“Estamos muito felizes com a indicação ao Prêmio Innovare, que representa o reconhecimento da qualidade e da criatividade dos servidores do TSE que desenvolveram a campanha”, afirmou a ministra Rosa Weber.

A assessora-chefe de Comunicação do TSE, Ana Cristina Rosa, lembra que, durante as Eleições Gerais de 2018, muita desinformação sobre a segurança das urnas eletrônicas e do processo eletrônico de votação como um todo foi disseminada pelas redes sociais. “Por isso, usamos as mesmas ferramentas para levar informações corretas, apuradas com rigor e seriedade, fazendo o enfrentamento dos conteúdos falsos”, destacou a assessora-chefe.

Após as Eleições de 2018, a campanha TSE contra Fake News continuou sendo aprimorada e se tornou uma das iniciativas precursoras do Programa de Enfrentamento à Desinformação com Foco nas Eleições 2020, lançada pela presidente da Corte Eleitoral em agosto deste ano.

O Programa já conta com 45 instituições parceiras entre órgãos públicos e privados, partidos políticos e plataformas digitais e de serviço de mensagem. Entre as entidades parceiras estão o Ministério Público Federal (MPF), o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o Tribunal de Contas da União (TCU), agências de checagem de fatos, Google, Facebook, Twitter e WhatsApp.

CM/JB

Últimas notícias postadas

Recentes