Youtube
facebook
Twitter
Rss
Flickr
imprimir    salvar

Imprensa

27 de janeiro de 2016 - 19h05

QR Code

Série Urna Eletrônica: Justiça Eleitoral desenvolve aplicativos para dar mais transparência e agilidade às eleições

Na busca por inovações e manutenção da transparência, a Justiça Eleitoral trabalha para ampliar os recursos tecnológicos de informação aos eleitores, candidatos, partidos políticos e advogados. Um exemplo disso são os aplicativos para smartphones e tablets que vêm sendo desenvolvidos e disponibilizados a cada eleição. Na primeira experiência, em 2012, um aplicativo foi lançado. Para as eleições gerais de 2014 foram quatro, e este ano a expectativa é que esse número chegue a 10 programas para versões mobile. 

Segundo a chefe da Seção de Desenvolvimento de Soluções Corporativas (Sedesc 4) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ianeiara Guedes de Assis, a ideia de desenvolver esses aplicativos surgiu durante um Fórum de Tecnologia da Informação da Justiça Eleitoral (Forti). Realizado a cada dois anos, em período não eleitoral, o Forti reúne técnicos e especialistas das secretarias de tecnologia da informação de todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e do TSE, para discutir propostas de melhorias e inovações tecnológicas para o processo eleitoral.  

A criação dos aplicativos cabe ao Grupo de Trabalho JE-Connect, formado por servidores da área de tecnologia da informação do TSE e dos TREs de Sergipe, Tocantins, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Acre, Piauí, Ceará, São Paulo e Paraíba. Esses profissionais enfrentam um verdadeiro desafio diante da rapidez com que a tecnologia mobile evolui. “Comportamentos novos e requisitos de segurança que devem ser atendidos são duas das coisas que nos fazem não apenas evoluir, mas praticamente refazer os aplicativos de uma eleição para outra”, explica a chefe da Sedesc 4. 

Segmentos 

Os programas são desenvolvidos visando atender a segmentos distintos de usuários. Para os eleitores, por exemplo, deverão ser disponibilizados no pleito deste ano aplicativos de consulta de locais de votação, relação de candidatos, fiscalização dos boletins de urna com a ajuda da tecnologia QR-Code e acompanhamento da apuração dos resultados. Já para candidatos e partidos políticos haverá um aplicativo contendo os prazos previstos no calendário eleitoral. Também haverá um sistema de consulta ao andamento dos processos na Justiça Eleitoral para os advogados, e está em estudo o desenvolvimento de um programa para encaminhamento e acompanhamento de denúncias. 

Além desses, ainda serão desenvolvidos aplicativos para uso interno da Justiça Eleitoral. Um deles é destinado aos cerca de dois milhões de mesários, que terão mais essa ferramenta no seu treinamento para atuar no dia da votação. Outro facilitará o trabalho dos técnicos que conferem as urnas eletrônicas. Cada urna passará a contar com um QR-Code contendo o checklist de sua preparação. Esse código será lido pelo aplicativo, permitindo ao técnico conferir de forma rápida se todos os passos foram cumpridos corretamente. 

Por fim, um aplicativo de conferência dos testes realizados na urna durante o ano também se encontra em desenvolvimento. O programa irá registrar em um QR-Code as situações que forem detectadas, permitindo acompanhar o comportamento das urnas e a produção de estatísticas.  

Lojas virtuais 

Quando liberados, todos os aplicativos para as Eleições Municipais 2016 serão disponibilizados gratuitamente nas lojas virtuais Google Play e App Store, respectivamente nas linguagens Android e IOS. 

Dos aplicativos oferecidos pela Justiça Eleitoral em eleições passadas, o número de instalações ultrapassou a casa dos dois milhões. E a expectativa é que esse número cresça ainda mais com os novos lançamentos este ano. 

RG/JP

Gestor Responsável: Assessoria de Comunicação +